Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Roteiro de Sabores

VINHOS BRANCOS II

Brancos Aperitivos

vinhos-brancos.jpg

 

Neste artigo damos alguns exemplos de complementariedade entre os vinhos brancos aperitivos e alguns alimentos.

 

Vinhos Leves com gás

Presunto, salpicão com broa, salsichas cocktail, snacks, batata frita, salgadinhos simples. 

 

Vinhos verdes

Azeitonas, caracóis do mar, polvo cozido, peixe fumado, rissóis de camarão, carapau alimado, anchovas.

 

Brancos Aromáticos (c/boa acidez)

Camarões, amêijoas, folhados, empadas, terrina de peixe, tapas de salmão, salame, tâmaras com bacon.

 

Porto branco seco e Xerez

Amêndoas, nozes, pevides, pistáchios, tapas com ovo, ovos verdes, terrina de carnes frias, patés de carne.

 

Madeira Seco

Patês de carne, queijo da ilha, morcela frita, farinheira frita, mousse de figados de aves, pipis.

 

 

Consulte a nossa gama de vinhos, patês, queijos, presuntos e muito mais em www.roteirodesabores.pt e nos nossos cabazes de Natal.

VINHOS BRANCOS

Paleta De Aromas E Sabores Para Todos Os Momentos Da Refeição

vinho-branco.jpg

 

Brancos Aperitivos

Os vinhos brancos aperitivos são os vinhos que despertam as papilas e estimulam o apetite para a refeição.

 

Existe uma enorme variedade, verdes, maduros, licorosos, com “piquinhos” e sem “piquinhos”.

 

Se a opção for um vinho verde, a escolha deve recair sobre um bem seco.

 

Se preferir um maduro, então deve ser leve, com aromas frutados, sem excessos e boa acidez.

 

Os brancos licorosos são igualmente uma excelente escolha alternativa, neste caso destaque para o Porto, Madeira ou Xerez, desde que secos.

 

Os vinhos brancos doces e encorpados são desaconselhados como aperitivos, ainda assim, se for a sua opção, então devem ser servidos bem frios e com um toque amargo, por exemplo, com água tónica.

 

Não são aconselhados os vinhos muito aromáticos.

 

Espumantes e Champagnes

Os espumantes, brutos ou secos e o Champagne são igualmente excelentes aperitivos, podendo mesmo prolongar-se pela refeição o seu consumo.

 

No próximo artigo daremos alguns exemplos de complementariedade entre os vinhos brancos e os aperitivos.

 

Enquanto aguarda, consulte a nossa gama de vinhos em www.roteirodesabores.pt e nos nossos cabazes de Natal.

HARMONIA DOS VINHOS COM A COMIDA III

harmonia-vinho-comida-III.jpg

 

Temos vindo, nos últimos artigos que publicamos, a abordar a temática da harmonia do vinho com a comida.

 

Entre os elementos relevantes, recordamos, falamos da importância do sal na comida ou os taninos no vinho, bem como o peso, a intensidade aromática, a acidez ou o açúcar.

 

Assim, quando os aromas da comida não são muito intensos a escolha deve recair sobre vinhos com aromas muito semelhantes, valorizando um (prato) e outro (vinho).

 

As Combinações Perfeitas

 

Por exemplo, os pratos de caça que devem ser acompanhados de vinhos velhos, devido à complexidade destes.

 

Ao invés, se os vinhos são demasiado aromáticos podem prejudicar o prato, podendo mesmo torná-lo enjoativo, por ex., não caberá na imaginação de ninguém um vinho branco com forte aroma a moscatel a acompanhar um cozido à portuguesa, certo?....

 

Conforme também já referimos, em regra, o vinho deverá ser mais ácido do que o prato, de forma a não “matar” o vinho, tornando-o chato, sem graça e sem acidez.

 

Ao contrário, se o vinho é ácido o prato não necessita de o ser, devendo neste caso ser um prato que se distinga pela gordura, por ex. um bacalhau à lagareiro, vai bem com um Dão, Bairrada ou Lisboa, ao invés de um Alentejano menos ácido e em regra mais alcoólico.

 

Se o ingrediente dominante ou que sobressai é o sal, então recomenda-se um vinho ligeiro, pouco intenso e pouco ácido.

 

No que respeita a doces, os vinhos devem ser ainda mais doces, por ex. um leite creme queimado casa na perfeição com um moscatel de Setúbal ou Porto Tawny de 10/20 anos.

 

Em sentido inverso, “conciliação dos contrários”, o queijo Roquefort liga muitíssimo bem com um Porto Vintage.

 

Experimente

 

Convidamos agora a passar da teoria à prática e colocar estas “dicas” à prova, e ver como é importante a escolha do vinho, tanto quanto o é a ementa.

 

Poderá consultar a nossa gama de vinhos, bem com condimentos e especiarias no nosso site, assim como os nossos cabazes, em www.roteirodesabores.pt.

HARMONIA DOS VINHOS COM A COMIDA II

harmonia-vinho-comida-II.jpg

 

No último artigo que publicámos fizemos referência a vários fatores a ter em conta no que respeita à harmonia do vinho com a comida.

Entre estes, realçámos, a importância do sal na comida ou os taninos no vinho, bem como o peso, a intensidade aromática, a acidez ou o açúcar, em ambos.

 

Carne de Frango

Neste artigo, daremos alguns exemplos práticos relativamente à carne de frango:

  • O frango cozido em água e sal torna-se muito leve pelo que é apropriado a uma dieta, e não deve ser acompanhado com vinho;
  • No entanto, se ao mesmo frango adicionarmos uma maionese ou molho, e se a estes juntarmos uma salada, aumentando-lhe o peso, então um branco leve e jovem é o recomendado, Portada Branco;
  • Caso entenda fazer um assado com o frango, no forno ou no churrasco, aumentando ainda mais o seu peso, e ainda adicionar as tradicionais batatas fritas, um rosé seco ou um tinto ligeiro são os mais aconselháveis, Casa do Lago tinto ou Santa Vitória Rose;
  • Caso opte por um guisado (por ex. frango na púcara), com bacon, cebolinhas e/ou cogumelos, aumentando ainda mais o seu peso, um bom tinto da região de Lisboa é o recomendado, por ex. um DFJ Caladoc & Alicante Bouschet;
  • Se for o frango de cabidela o escolhido, com o característico vinagre a realçar os sabores, o vinho verde é perfeito;
  • Por último, se o frango for guisado com recurso a especiarias (por ex. caril) e malaguetas, ao bom estilo Indiano, esqueça o vinho, beba uma cerveja bem gelada.

 

Resumindo

O peso de um prato depende, e muito, para além do alimento, do tipo de cozedura, dos temperos, assim como do acompanhamento.

Consulte a nossa gama de vinhos, condimentos e especiarias que temos para lhe oferecer, assim como os nossos cabazes em www.roteirodesabores.pt.

Sigam-me

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D